16/07/09

Gripes e afins

Estava eu a ver o Jornal da Tarde, descansadinha da vida , a tentar não pensar na desgraça de exame que se aproxima e eis senão quando oiço uma das maiores pérolas do últimos tempos. A reportagem era sobre o impacto da gripe H1N1 nas missas e as medidas que estão a ser tomadas pela Igreja, nomeadamente o padre dar a óstia na mão e não na boca:

Jornalista:
Não está preocupado com a gripe, vai continuar a querer receber a óstia na boca?

Rato-de-igreja:
Não. Vou continuar a receber a óstia na boca porque Deus não há-de deixar que nada de mal me aconteça!

Eu tenho cá para mim que das duas uma:
Ou eu ouvi mal e não percebi bem a coisa (deve ser de ter o cérebro meio empapado)
Ou aquela criatura acha que é mais do que os outros todos que já foram infectados porque esses como (provavelmente) não vão à missa estão todos a ser castigados pela falha...

Se há coisas para as quais eu não tenho mesmo paciência é para este tipo de conversa da treta e pensamento limitado...quase que me rebolei a rir de tamanha ingenuidade(?)

3 comentários:

Mnemósine disse...

Ignorância mesmo.

Maria Manuela disse...

Eu nem sei como vai ser este ano. Todos os anos a minha médica receita-me a vacina da gripe. Este ano nem sei o que me vai indicar.

:)

E sim minha querida isso é conversa de quem não sabe o que é acordar e pensar que se vai morrer ali esticadinha sem conseguir respirar. Eu não sou hipocondríaca nem nada que se pareça, mas depois de muitos disparates feita em nova e de sequelas irreparáveis no aparelho respiratório, tenho o maior cuidado com tudo o que diga respeito ao dito aparelho. Ainda só não consegui deixar de fumar, mas enfim.

beijos

francis disse...

os jornalistas hoje em dia são muito limitados, e entrevistam gente ainda pior.
eu estou preocupado com a cena da gripe.


boa tarde.
- via maria manuela -